Quando a dor na musculação vale a pena

 
Pare de reclamar, cara. Ok, sentir dor é uma droga, mas pode significar que seu corpo está ficando mais forte e ganhando com o esforço. Para você não correr o risco de se exercitar de menos, por medo de uma sensação normal, ou demais, por ignorar um sinal de perigo, enumeramos as dores mais comuns do treino e apontamos quais você deve aguentar e quais merecem atenção.
1. Não dê moleza para seu corpo
A dor muscular costuma atacar de 24 a 72 horas depois de uma sessão de exercícios pesados. É como uma ressaca dos músculos.

AGUENTE FIRME

O exercício causa uma resposta inflamatória do corpo. “É sinal de que os músculos estão reagindo”, explica Sarah Hardman, fisiologista do Instituto Inglês Para o Esporte.

Insista no exercício
A dor não é uma desculpa para folgar. “Exercício suave nos músculos doloridos aliviam”, diz Sarah. Um estudo da Universidade da Carolina do Leste (EUA) revelou que uma massagem duas horas depois do treinamento também ajuda. Aplique pressão no local afetado com movimentos circulares para melhorar a circulação.

2. Ponha fim à pontada

É como uma punhalada intensa debaixo da sua caixa torácica. A impressão é de que alguém enfia uma faca entre suas costelas.
DÊ UM TEMPO
A pontada acontece quando os ligamentos peritoneais – localizados em torno do diafragma – tensionam em excesso porque  seu torso sofreu uma torção.
Trate bem dos seus ligamentos

“Faça ‘respirações abdominais’ profundas”, diz Sammy Margo, fisioterapeuta de Londres (Inglaterra). Isso evita os espasmos que causam o problema. Na corrida, expire só quando a perna oposta à pontada atingir o chão. Especialistas da Universidade da Cidade do Cabo (África do Sul) afirmam que isso alivia a dor.

3. Aguente a queimadura
Você está dando o máximo e, de repente, a sensação é de uma injeção de ácido sulfúrico.
AGUENTE FIRME

“Essa é uma dor que não deve preocupar”, diz Sarah. “O ardor é porque você está trabalhando um pouco abaixo do limiar lático (limite antes que o ácido lático acumule nos seus músculos), o que torna mais rápida a queima de gordura.”
Ponha lenha na fogueira

Para trabalhar no limiar láctico, corra durante 30 minutos em ritmo de exaustão. Use um frequêncimetro e cheque sua média dos últimos 20 minutos. Essa deve ser sua meta em exercícios aeróbicos. “Aumente  sua tolerância láctica com treino intervalado”, aconselha Sarah. Suba correndo uma colina suave a 90% do seu esforço máximo por um minuto. O intervalo é descer em ritmo de jogging. Repita a ida e volta por seis vezes e sinta o ácido lático penetrar. Um estudo da Universidade da Austrália Ocidental descobriu que os atletas que faziam isso aumentaram a capacidade de isolar as substâncias que fazem os seus músculos produzirem ácido lático em até 25%. Mas, antes de começar, deixe um extintor de incêndio preparado – porque vai queimar.

4. Explore seus limites, mas só de vez em quando
A náusea provocada por excesso de exercícios é uma sensação semelhante a uma bebedeira em um barco.
DÊ UM TEMPO

Você vai passar mal quando está com baixo nível de açúcar no sangue, desidratado – ou tomou água demais durante o exercício – ou forçou a barra no esforço.
Exija esse nível de esforço do seu corpo raramente

Isso só vale se você estiver, por exemplo, treinando para um triatlo. “Às vezes é um estímulo para os atletas porque mostra o quanto eles treinaram”, diz Sarah. “Mas, para evitar o mal-estar, você precisa estar devidamente hidratado e bem alimentado.” A especialista recomenda um lanche rico em carboidratos, uma hora antes de começar o treino, e ingestão constante de água.

5. Trema e fique forte
Músculos tremem sob pressão. São como gravetos sustentando um bloco de concreto.
AGUENTE FIRME
A tremedeira ocorre quando as células nervosas que controlam seus músculos abandonam o serviço porque estão exaustas.
Descanse um pouco e, então, repita “Isso é sinal de que o corpo passou por algo a que não está acostumado”, explica Matt Lee, fisiologista da Universidade Estadual de São Francisco (EUA). Mas isso passa: “Quanto mais você se exercita, mais os neurônios e fibras musculares se adaptam ao esforço, o que resulta em menos contração”, diz. Aumente para três minutos o descanso entre séries e treine um dia a mais por semana.


FONTE: Menshealth.abril.com.br
Reações:

0 comentários:

Postar um comentário

Para mais informações entre em contato:
acadhemia@gmail.com
83 98730 5644 (só mensagem).

 

Subscribe to our Newsletter

Contact

Email us: acadhemia@gmail.com

Our Team Memebers