Bons hábitos alimentares.

Certos alimentos são um bom começo na luta contra o câncer. Vegetais de folhas verdes-escuras, como espinafre, brócolis e couve têm importantes propriedades anticancerígenas, assim como o licopeno do tomate e de outros alimentos vermelhos. As frutas ricas em vitamina C, como laranja, caju e acerola possuem substâncias com propriedades antiinflamatórias e antitumorais e não podem faltar na dieta contra o câncer, mas, por causa do tratamento quimioterápico, essas e outras frutas e bebidas ácidas devem ser evitadas quando há mucosite. Para completar o cardápio, é preciso incluir as fibras, presentes em alimentos como pão integral, aveia, farelo de trigo, milho, feijão, soja, grão de bico, frutas, verduras e legumes, além da carne. Assim você terá consumido tudo o que seu organismo precisa.
De acordo com o Instituto Americano de Pesquisa do Câncer, nos Estados Unidos, para ter uma vida saudável e contribuir para a prevenção de doenças cardiovasculares e do câncer, as pessoas devem consumir, no mínimo, cinco porções de frutas, legumes e verdura ao dia. Passando para números, a Organização Mundial de Saúde (OMC) recomenda o consumo diário de pelo menos 400 gramas desses alimentos. "Se você comer uma fruta no café da manhã, nos intervalos entre as refeições e na hora do almoço, comer uma fatia de tomate e uma folha de alface, já terá ingerido o recomendado. Mas não vale suco de fruta em caixinha ou batata frita, pois os alimentos devem ser ingeridos in natura - no máximo refogados, assados ou cozidos", explica Carolina Menezes Ferreira, nutricionista e mestre em Saúde Pública pela Escola Paulista de Medicina.
As frutas, verduras e legumes possuem grande concentração de vitaminas, fibras e minerais. Dentre as vitaminas, existem algumas que são consideradas anti-oxidantes, ou seja, terão o papel de proteger as células, como é o caso da vitamina A (presente em vários tipos de legumes, como cenoura e beterraba), vitamina C (presente nos alimentos cítricos, frutas cítricas), vitamina E (castanhas e oleaginosas), além dos minerais zinco e selênio. É recomendável também reduzir o consumo de gordura saturada, presente em alimentos de origem animal, e de gordura trans (que sofreu alteração química), presente nos alimentos industrializados.
"O baixo consumo de água, fruta, verdura, legume, aliado ao sedentarismo, o fumo ou o excesso de bebida alcoólica podem aumentar a probabilidade de uma pessoa vir a desenvolver um câncer", alerta Carolina Ferreira.
Orientações Nutricionais para Pacientes em Tratamento:
Uma boa alimentação é fundamental para que a pessoa tenha condições de reagir aos efeitos colaterais e prevenir infecções durante o tratamento. Em geral não há necessidade de suplementação de vitaminas, a não ser em casos de câncer em órgãos ou tecidos do aparelho digestivo e em casos específicos de suplementação vitamínica para a quimioterapia e, em qualquer uma das circunstâncias, o médico deverá ser consultado. Em caso de dúvida, procure um nutricionista para que ele possa ajudar na elaboração de um cardápio específico para o seu caso. Confira dicas que ajudam a minimizar efeitos colaterais da quimioterapia.
Sugestão de Plano Alimentar (sugestão)
Refeição Alimento/Preparação
Café-da-manhã Vitamina de frutas (mamão, bananae maçã) e aveia em flocos finos.
Pão de forma com peru e queijo
Lanche da manhã Iogurte de frutas (mamão, banana,ameixa, morango)
Almoço Arroz
Feijão
Purê de batata
Carne de panela
Legumes cozidos (cenoura, chuchu, vagem, beterraba)
Sobremesa: gelatina com creme de Leite
Lanche da tarde    1 copo de leite e 6 unidades debiscoito maizena
Jantar Canja ou Sopa de legumes com Macarrão
Ceia Mingau

Dica: Lactobacilos contribuem para a absorção dos micronutrientes. Os lactobacilos são bactérias que geralmente estão presentes em nosso intestino, ajudando a manter uma boa saúde, porque favorecem a absorção dos micro-nutrientes pelo nosso corpo. Em alguns casos específicos, a flora intestinal bacteriana pode estar alterada como, por exemplo, após uso prolongado de antibióticos. Uma das melhores fontes dos chamados lactobacilos acidófilos é a coalhada caseira, preparada a partir de fermentos lácteos (encontrados nos supermercados para fazer queijo). Há ainda as bebidas lácteas industrializadas com a finalidade de proverem os lactobacilos. O iogurte industrializado, por sua vez, não é uma fonte confiável de lactobacilos, mas sim de cálcio e proteínas. Por isso a dica é: inclua derivados de leite no seu cardápio, diariamente. 

FONTE: Ache.com.br
Reações:

0 comentários:

Postar um comentário

Para mais informações entre em contato:
acadhemia@gmail.com
83 98730 5644 (só mensagem).

 

Subscribe to our Newsletter

Contact

Email us: acadhemia@gmail.com

Our Team Memebers