Idéias de Novos Negócios - Academia de Ginástica

Apresentação do Negócio

Com o aumento da expectativa de vida das pessoas e da competição no mercado de trabalho, a sociedade contemporânea demonstra uma preocupação muito maior com a beleza (estética), saúde e qualidade de vida do que há alguns anos atrás.
Associada à melhoria da qualidade de vida, diminuição do estresse e da boa saúde, a ginástica praticada no ambiente alegre das academias tem se transformado num hábito comum do mundo moderno.
Hoje, segundo a ACAD - Associação Brasileira de Academias existem no país cerca de 9.000 academias de ginástica, dentre estas, 4.800 cadastradas na associação nacional que representa o setor.
Embora já comecem a despontar no mercado brasileiro as primeiras grandes redes de academias, principalmente no eixo Rio - São Paulo trata-se de um mercado bastante pulverizado, que ainda oferece oportunidades para empreendedores individuais e micro e pequenas empresas.

Mercado

Segundo a ACAD, o setor de Academias de Ginástica no Brasil, atende 1,7% da população representando um público de 2,8 milhões de pessoas que geram de receita de mensalidade e matrículas para os operadores do setor um faturamento de cerca de R$ 1,5 Bilhões.
Hoje as academias de ginástica não atraem somente os “malhadores”. Seus freqüentadores são pessoas de diversas idades e faixa de renda, com interesses diversos, seja em busca de melhorar a condição física, combater o stress ou mesmo prevenir doenças (principalmente na terceira idade).
A tendência é a profissionalização do setor. No novo cenário, especialistas acreditam que as academias ofereçam cada vez mais equipamentos modernos, várias modalidades de atividades esportivas e tecnologia atualizada, assim como a especialização em determinados nichos, como feminino, terceira idade, ioga, entre outros, o que poderá favorecer as academias de menor porte.
Existem academias com mensalidades variando de R$ 45,00 a R$ 300,00, dependendo do público alvo, serviços oferecidos e da região em que estiver instalada. Portanto, os primeiros passos para quem deseja atuar no setor são: escolher com que público-alvo deseja trabalhar, quais serviços irá prestar (modalidades) e definir o local ideal.

Localização

A escolha do local de instalação da academia é, seguramente, um dos aspectos mais importantes para o sucesso de um empreendimento deste tipo. Para a definição do local o empreendedor deverá considerar alguns fatores relevantes, dentre os quais: concentração e poder aquisitivo dos potenciais freqüentadores, concorrência de clubes e outras academias que exploram o mesmo segmento de público.
Antes de se definir por um imóvel para abertura e montagem de sua Academia de Ginástica, você deverá observar os seguintes detalhes:
a) Certifique-se de que o imóvel em questão atende as suas necessidades operacionais quanto à localização, capacidade de instalação, características da vizinhança - se é atendido por serviços de água, luz, esgoto, telefone, etc.
b) Comodidades que possam tornar mais atrativa e conveniente à presença dos freqüentadores, tais como facilidade de acesso e estacionamento para clientes.
c) Cuidado com imóveis situados em locais sujeitos a inundações ou próximos às zonas de risco. Consulte a vizinhança a respeito.
d) Verifique se o imóvel está legalizado e regularizado junto aos órgãos públicos municipais que possam interferir ou impedir sua futura atividade.
e) Confira a planta do imóvel aprovada pela Prefeitura, e veja se não houve nenhuma obra posterior, aumentando, modificando ou diminuindo a área primitiva, que deverá estar devidamente regularizada.
f) Verifique também na Prefeitura Municipal:
-se o imóvel está regularizado, ou seja, se possui HABITE-SE;
- se as atividades a serem desenvolvidas no local, respeitam a Lei de Zoneamento do Município, pois alguns tipos de negócios não são permitidos em qualquer bairro;
-se os pagamentos do IPTU referente ao imóvel encontram-se em dia;
-no caso de serem instaladas placas de identificação do estabelecimento, será necessário verificar o que determina a legislação local sobre o licenciamento das mesmas.

Exigências legais específicas

a) Registro da empresa nos seguintes órgãos:
- Junta Comercial;
- Secretaria da Receita Federal (CNPJ);
- Secretaria Estadual de Fazenda;
- Prefeitura do Município para obter o alvará de funcionamento;
- Enquadramento na Entidade Sindical Patronal (empresa ficará obrigada a recolher anualmente a Contribuição Sindical Patronal);
- Cadastramento junto à Caixa Econômica Federal no sistema “Conectividade Social – INSS/FGTS”.
- Corpo de Bombeiros Militar.
b) Visita a prefeitura da cidade onde pretende montar a sua indústria (quando for o caso) para fazer a consulta de local;
c) Obtenção do alvará de licença sanitária - Adequar às instalações de acordo com o Código Sanitário (especificações legais sobre a condições físicas). Em âmbito federal a fiscalização cabe a Agência Nacional de Vigilância Sanitária, estadual e municipal fica a cargo das Secretarias Estadual e Municipal de Saúde. (quando for o caso)
2ª Etapa: (Só inserir quando for o caso)
Preparar e enviar requerimento ao Chefe do DFA/SIV do seu Estado para, solicitando a vistoria das instalações e equipamentos
Lei n° 9.696, de setembro de 1998 – Dispõe sobre a regulamentação da profissão de Educação Física e cria o Conselho Federal (CONFEF) e os Conselhos Regionais de Educação Física (CONREF).

O empreendedor que pretenda abrir uma Academia de Ginástica, não precisa ter formação superior. Todavia, o exercício das atividades de educação física é prerrogativa dos profissionais regularmente registrados nos Conselhos Regionais de Educação Física. Nesse sentido, a Lei Federal nº. 9.696/98, que dispõe sobre a regulamentação da Profissão de Educação Física e estabelece que as academias de ginástica deverão manter um responsável técnico e profissionais de educação física em suas dependências.

A Resolução CONFEF n.º 21, de 21 de janeiro de 2000, dispõe que as pessoas jurídicas, cuja finalidade básica seja a prestação de serviços de atividade física, desportiva e similar, estão obrigadas a se registrarem no respectivo Conselho Regional de Educação Física..

A Resolução CONFEF n.º 52, de 08 de dezembro de 2002, dispõe sobre as normas básicas de fiscalização da estrutura física e equipamentos para o funcionamento de pessoa jurídica prestadora de serviços na área da atividade física, desportiva e similares.

A Resolução CONFEF nº. 056/2003 - Dispõe sobre o Código de Ética dos Profissionais de Educação Física registrados no Sistema CONFEF/CREFs.

Os normativos acima estão disponíveis no site oficial do CONFEF, no seguinte endereço eletrônico http://www.confef.org.br/extra/resolucoes

Lei nº. 6.839, de 30 de outubro de 1980 - Dispõe sobre o registro de empresas nas entidades fiscalizadoras do exercício de profissões.

Lei n° 9.610, de 19 de fevereiro de 1998 – Altera, atualiza e consolida a legislação sobre direitos autorais e dá outras providências.

LEI nº. 9.615, de 24 de março de 1998 - Institui normas gerais sobre desporto e dá outras providências.

Portaria n° 63, de 7 de julho de 1998, do Instituto Nacional de Desenvolvimento do Desporto, subordinado ao Ministério da Educação e do Desporto – Disciplina o registro dos técnicos e treinadores desportivos, habilitados na forma da Lei, e a expedição dos correspondentes certificados de registro no âmbito do Instituto Nacional de Desenvolvimento do Esporte – INDESP.

Alguns Estados possuem Lei disciplinando o ensino e prática em academias de modalidades de lutas e artes marciais (Judô, Taekwondô, Aikidô, Kendô, Karatê e congêneres, bem como as lutas de Boxe, Livre, Greco-Romana, Sumô e congêneres), exigindo além dos registros previstos em lei, registro no Conselho Regional de Desportos, e obtenção de “Certificado de Funcionamento Desportivo”.

Para obter a legislação aplicável ao setor de esporte no Brasil – vide o site do Centro Esportivo Virtual, no endereço eletrônico http://www.cev.org.br/br/biblioteca/leis.asp

Código de Defesa do Consumidor (CDC), instituído pela Lei nº. 8.078, em 11 de setembro de 1990, com o objetivo de regular a relação de consumo em todo o território brasileiro, na busca do reequilíbrio na relação entre consumidor e fornecedor. As empresas que fornecem serviços e produtos no mercado de consumo devem observar as regras de proteção ao consumidor, estabelecidas pelo CDC.

Estrutura

A estrutura ideal compreende um imóvel com área não inferior a 250 m², dividido em:
Recepção
Sala de Administração
Sala de Avaliação / Depto. Médico
Sala polivalente para aquecimentos, condicionamento, alongamento, etc.;
Sala para aulas de ginástica;
Sala de musculação com aparelhos;
Vestiário masculino e feminino.
Alem da área mencionada e necessário um bom espaço para estacionamento dos clientes.

Pessoal

A mão-de-obra é variável de acordo com a estrutura do empreendimento. O empresário do setor precisa, antes de montar sua equipe, definir que serviços ira oferecer.
Dependendo da quantidade de alunos atendidos, bem como, dos horários e modalidades de maior fluxo, será necessário um número adequado de pessoas para atender esta demanda. Contudo, uma academia não poderá prescindir de profissionais que exerçam as seguintes atividades:
Administrador: profissional que será responsável pela gestão administrativa da academia, abrangendo as áreas de marketing, informática, compras, financeiro e administração de pessoal;

Responsável Técnico Educação Física: profissional da área de educação física que ficará responsável pelo gerenciamento das modalidades e dos profissionais de educação física que atuarem na academia;

Atendente (Recepcionista) ou vendedora: profissional responsável pelo atendimento e vendas dos serviços da academia;

Técnico de Manutenção de Equipamentos: profissional que ficará responsável pelo controle e manutenção dos equipamentos da academia, e;

Profissionais e estagiários de Educação Física: responsáveis pela elaboração e desenvolvimento das atividades oferecidas na academia.
Os aparelhos e equipamentos básicos de uma academia são:
Ginástica
Esteiras
Bicicleta ergométrica
Supino (aparelho para exercícios da musculatura do tórax)
Pull Over (aparelho para exercícios da musculatura das costas)
Peitoral Dorsal Pec-Deck
Máquina flexora c/ 50
Máquina de adução
Máquina abdução
Máquina abdominal vip
Máquina para remada
Cadeira Romana
Leg press
Halteres
Barras
Anilhas
Porta barras / anilhas
Step
Colchonetes (para ginástica)
Cordas
Equipamento para exercícios aeróbicos
Espelhos
Piso antiderrapante

Apoio e Administrativo
Bebedouro
Ventiladores
Guarda - volumes para os vestiários
Mesas
Cadeiras
Bancos
Balança
Aparelhagem de som
Microcomputador
Aparelho multifuncional (fax, copiadora e impressora)
Armários para escritório
Arquivos
Balcão para recepção

Matéria Prima / Mercadoria

Como se trata de uma prestação de serviços não há mercadorias ou matérias primas envolvido na atividade.

Organização do processo produtivo

O primeiro passo para o ingresso em uma Academia de Ginástica é a matrícula e o exame de avaliação física do futuro cliente.
Nota: A academia deve exigir um exame médico do cliente para provar que o mesmo está apto a realizar atividades físicas.
Após admissão, a academia deve oferecer um local adequado à prática de exercícios físicos por meio de diversas modalidades de aulas monitoradas por instrutores com formação em educação física, tais como: jazz, aeróbica, dança rítmica, alongamento, musculação, artes marciais, natação entre outras; disponibilizando
materiais necessários às praticas esportivas - tatames, luvas, protetores, bem como equipamentos para fortalecimento muscular e condicionamento físico. Este trabalho é coordenado pelo Responsável Técnico de Educação Física que é responsável pelo gerenciamento das modalidades e dos profissionais de educação física que atuam na academia;
As áreas de apoio e administrativa têm papel importante no bom andamento da academia, abrangendo as áreas de faturamento, marketing, informática, compras, financeira e administração de pessoal, além da manutenção dos equipamentos e a limpeza do local.

Automação

A automação do ramo é utilizada como um elemento de diferenciação e dependendo da segmentação é empregada com maior ou menor intensidade na atração de clientes.
Em academias sofisticadas a automação vai desde o ingresso dos freqüentadores através de equipamentos biométricos (ex: leitores de digitais), passando pela escolha dos aparelhos altamente digitalizados e integrados a televisores, monitores, etc. até a integração destes aparelhos com software de acompanhamentos físico individual de cada freqüentador.
Na parte administrativa a automação se dá através do emprego de softwares (pacotes) especiais para gestão de academias de ginásticas com módulo de cadastro, matrícula, cobrança, dentre outros.

Investimentos

O investimento necessário à implantação de uma academia de ginástica estão condicionados aos serviços que serão oferecidos, publico alvo (e correspondentes equipamentos voltados para esse público), padrão de negócio que se deseja estabelecer e também ao volume de capital disponível para se investir. Estima-se que para implantação de uma academia de ginástica instalada em um imóvel de cerca de 250m², serão necessários aproximadamente R$ 53.000,00, para aquisição dos seguintes itens:
Abertura da Empresa -R$ 3.000,00
Reformas e adaptação do Imóvel - R$ 4.500,00
Móveis e Equipamentos de Escritório - R$ 3.000,00
Marketing de Inauguração -R$ 2.500,00
Equipamentos - R$ 40.000,00

Capital de Giro

Capital de giro é um montante de recursos financeiros que a empresa precisa manter para garantir a dinâmica do seu processo de negócio.
O capital de giro precisa de controle permanente, pois tem a função de minimizar o impacto das mudanças no ambiente de negócios onde a empresa atua.
O desafio da gestão do capital de giro deve-se, principalmente, à ocorrência dos fatores a seguir:
- Variação dos diversos custos absorvidos pela empresa;
- Aumento de despesas financeiras, em decorrência das instabilidades desse mercado;
- Baixo volume de vendas;
- Aumento dos índices de inadimplência;
- Altos níveis de estoques.
O empreendedor deverá ter um controle orçamentário rígido de forma a não consumir recursos sem previsão.
O empresário deve evitar a retirada de valores além do pró-labore estipulado, pois no início todo o recurso que entrar na empresa nela deverá permanecer, possibilitando o crescimento e a expansão do negócio. Dessa forma a empresa poderá alcançar mais rapidamente sua auto-sustentação, reduzindo as necessidades de capital de giro e agregando maior valor ao novo negócio.
A gestão do capital de giro de uma empresa envolve outros fatores que requerem a atenção do empreendedor. Para evitar e corrigir eventos, que, potencialmente, venham provocar a necessidade de novos aportes de recursos financeiros, o empreendedor deve atentar, dentre outros fatores, para:
- dimensionar adequadamente o seu quadro de pessoal. Realizando as contratações dos profissionais à medida que aumente o número de clientes na academia.
- evitar custos fixos elevados atentando para despesas de energia, aluguel, material de limpeza, dentre outras que possam gerar desembolsos recorrentes acima do desejado, mesmo que a academia funcione com poucos clientes.
- atuar para aumentar a base de clientes e fidelizar os clientes já existentes.
- evitar aumentos indesejados dos índices de inadimplência;
- praticar preços que não cubram os custos incorridos ou conceder descontos que possam comprometer a margem de lucro da academia.

Custos

São todos os gastos realizados na produção de um bem ou serviço e que serão incorporados posteriormente no preço dos produtos ou serviços prestados, como: aluguel, água, luz, salários, honorários profissionais, despesas de vendas, matéria-prima e insumos consumidos no processo de produção.
O cuidado na administração e redução de todos os custos envolvidos na compra, produção e venda de produtos ou serviços que compõem o negócio, indica que o empreendedor poderá ter sucesso ou insucesso, na medida em que encarar como ponto fundamental a redução de desperdícios, a compra pelo melhor preço e o controle de todas as despesas internas. Quanto menores os custos, maior a chance de ganhar no resultado final do negócio.
Os custos para uma abrir uma academia de ginástica devem ser estimados considerando os itens abaixo:
1. Salários, comissões e encargos;
2. Tributos, impostos, contribuições e taxas;
3. Aluguel, taxa de condomínio, segurança;
4. Água, Luz, Telefone e acesso a internet;
5. Produtos para higiene e limpeza da empresa e funcionários;
6. Recursos para manutenções corretivas;
7. Assessoria contábil;
8. Propaganda e Publicidade da empresa;
9. Aquisição de equipamento e insumos;

Exemplo de custo mensal de uma academia de ginástica:

-Mão de Obra: R$ 4.000,00
-Depreciação de equipamentos: R$ 800,00
-Impostos: R$ 1.600,00
-Aluguéis, condomínios e IPTU: R$ 1.600,00
-Água, luz e telefone: R$ 1.000,00
-Contador: R$400,00
-Manutenção e conservação: R$ 100,00
-Marketing e publicidade: R$ 100,00
-Material de escritório: R$ 100,00
-Material de limpeza: R$ 200,00
-Outros: R$ 1.500,00
Total mensal: R$ 10.200,00

Obs.: os valores apresentados são indicativos e servem de base para o empresário decidir se vale ou não a pena aprofundar a análise de investimento.

Diversificação / Agregação de valor

É comum que as academias comercializem roupas de ginástica e acessórios, além de lanches, sucos, naturais, energéticos etc. Além disso, estabelecer parcerias ou sublocar espaço para fisioterapeutas e médicos de reabilitação de lesões ortopédicas é um nicho de negócio para fidelizar o cliente e aumentar a receita da academia.

Divulgação

A melhor forma de divulgação para o negócio é o bom trabalho, divulgado boca a boca. Outras formas de divulgação são:
e-mail martketing pela Internet,
mala-direta,
panfletos,
convênio com profissionais de áreas afins,
parcerias com condomínios e empresas,
patrocínio de eventos esportivos tais como: corridas, campeonatos, etc.

Informações Fiscais e Tributárias

O segmento de academias de ginástica, assim entendido as academias de atividades físicas, desportivas, natação e escolas de esportes, poderá optar pelo SIMPLES Nacional - Regime Especial Unificado de Arrecadação de Tributos e Contribuições devidos pelas Microempresas e Empresas de Pequeno Porte, instituído pela Lei Complementar nº 123/2006, caso a receita bruta de sua atividade não ultrapassar R$ 240.000,00 (microempresa) ou R$ 2.400.000,00 (empresa de pequeno porte) e respeitando os demais requisitos previstos na Lei.

Nesse regime, o empreendedor poderá recolher os seguintes tributos e contribuições, por meio de apenas um documento fiscal – o DAS (Documento de Arrecadação do Simples Nacional):
IRPJ (Imposto de Renda da Pessoa Jurídica);
CSLL (Contribuição Social sobre o Lucro);
PIS (Programa de Integração Social);
COFINS (Contribuição para o Financiamento da Seguridade Social);
ICMS (Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços);
INSS (Contribuição para a seguridade social).
Conforme o Anexo I da referida Lei Complementar nº 123/2006, as alíquotas do SIMPLES Nacional, para esse ramo de atividade, vão de 4% até 11,61%, dependendo da receita bruta auferida pelo negócio. No caso de início de atividade no próprio ano-calendário da opção pelo SIMPLES Nacional, para efeito de determinação da alíquota no primeiro mês de atividade, o empreendedor utilizará como receita bruta total acumulada, a receita do próprio mês de apuração multiplicada por 12 (doze).
Se o estado em que o empreendedor estiver exercendo a atividade conceder benefícios de isenção e/ou substituição tributária para o ICMS, a alíquota poderá ser reduzida conforme o caso. Na esfera Federal poderá ocorrer ou quando se tratar de PIS e/ou COFINS (Resolução nº 05/2007, do Comitê Gestor de Tributação das Microempresas e Empresas de Pequeno Porte).
Para as empresas não elegíveis / não optantes pelo “Simples Nacional” os principais registros requeridos continuam sendo:
- Registro da empresa na Junta Comercial;
- Inscrição na Receita Federal para obtenção do CNPJ - Cadastro Nacional de Pessoa Jurídica (http://www.receita.fazenda.gov.br);
- Se for contribuinte do ICMS (empresas mercantis e prestadoras de serviços de telecomunicação e transporte), registrar a empresa na Secretaria da Fazenda do Estado (http://www.fazenda.sp.gov.br);
- Inscrição da empresa na Prefeitura Municipal para obtenção do Cadastro de Contribuinte Mobiliário (no município de São Paulo - http://www.prefeitura.sp.gov.br);
- Registro na Previdência Social para inscrição da empresa no INSS (http://www.mpas.gov.br);

Normas Técnicas

As normas técnicas estão definidas nos currículos dos cursos de formação em Educação Física e o exercício profissional na área é regido pelas normas do CONFEF. O INMETRO estabelece as normas relativas à calibragem e aferição dos aparelhos e pesos utilizados pelas Academias de Ginástica.

Glossário

Aeróbio (a): Qualquer atividade física que implique o fornecimento constante de oxigênio aos músculos. As atividades aeróbias têm duração prolongada. Exemplos: marcha, corrida lenta, bicicleta em plano, natação, dança.

Anaeróbio (a): As atividades físicas intensas que debitam grande quantidade de energia e duram poucos segundos ou minutos. Exemplos: sprints, saltos, musculação com muita carga, halterofilismo.

Desidratação: Déficit de água e eletrólitos, suficientemente grave para produzir alterações bioquímicas e sinais clínicos detectáveis, como aumento da temperatura, respiração ofegante, cãibras, fadiga muscular, visão turva ou exaustão.

Jogging: Palavra inglesa que significa corrida muito lenta, sempre em regime aeróbio.
Localizado (ginástica): Atividade física que faz trabalhar, ao mesmo tempo, menos de um terço da musculatura corporal.

Personal Trainer: Profissional da área do exercício físico que através de uma abordagem individualizada, avalia, motiva, educa e treina os seus clientes, de acordo com as necessidades específicas de cada um deles.

Pilates: Método de exercícios para todo o corpo, focado no alongamento e fortalecimento muscular, gerador de equilíbrio físico, resistência e prevenção de lesões.

Spinning: Atividade aeróbia praticada sobre uma bicicleta ergométrica.

Dicas do Negócio

Quem quer abrir uma academia precisa estar atualizado quanto às tendências do setor. É vital participar de feiras e eventos que reúnam expositores do segmento, visando também estabelecer contato com novos fornecedores e práticas. Porem, muitos outros fatores irá contribuir para o sucesso do seu negócio, dentre eles:
Distribuir bem os horários para ampliar o alcance do público;
Oferecer uma boa variedade de opções de modalidades individuais e coletivas para homens e mulheres.
Participar em equipe de eventos esportivos públicos (Maratonas, Corridas e torneios);
Avaliar a oportunidade de instalar no local loja de roupas e artigos de ginástica, locadora de vídeos, salão de beleza, loja de suplementos. Lanchonete, etc.;
Avaliar constantemente o benefício de terceirizar serviços (médicos. Informática, limpeza), para melhorar a lucratividade. Aliás, como em qualquer outro negócio, controlar gastos e investir com foco no resultado é fundamental;
Investir constantemente em marketing;
Contratar bons profissionais;
Trabalhar com especialistas;
Manter uma programação diversificada para todas as idades;
Renovar a programação pelo menos a cada três meses;
Supervisionar adequadamente o trabalho dos professores para assegurar a atenção a todos os alunos democraticamente, evitando a formação das chamadas "panelinhas".
Formar um grupo de alunos antes mesmo da inauguração;
Firmar convênios com escolas, condomínios e empresas, oferecendo demonstração de aulas;
Manter trabalhos voltados para o público de terceira idade.
Definir uma boa estratégia de preços para conquistar "market share" sobre os competidores mais caros; observando que qualquer pressão para baixar os preços destes concorrentes pode forçar você a baixar os seus também.

Características específicas do empreendedor

Passada a fase de abertura desenfreada de novas academias o momento é de profissionalização e competição no setor. Por isso o empreendedor do ramo deve ter experiência comercial e conhecimento do setor e características tais como:
Afinidade com o setor é fundamental (ou um sócio identificado com o seguimento);
Habilidade de relacionamento e de motivar equipes.
Capacidade para manter-se atualizado tecnicamente e de buscar constantemente conhecimento e inovações na área de saúde / educação física.
Habilidade gerencial e conhecimento de marketing de serviços.

Bibliografia Complementar

Atlas do Esporte, Educação Física e Atividades Físicas de Saúde e Lazer no Brasil
Lamartine, Da Costa, organizador. Consórcio Líder CONFEF - Rio de Janeiro : Shape 2005.

CAPINUSSÚ, José Maurício Administração e markenting nas academias de ginásticas . 1ª edicão. 80 páginas. Ibrasa. São Paulo, .

CAPINUSSÚ, José Maurício Moderna organização da educação física . 1ª edicão. 128 páginas. Ibrasa. São Paulo

FONTE: Sodinheiro.info
Reações:

0 comentários:

Postar um comentário

Para mais informações entre em contato:
acadhemia@gmail.com
83 98730 5644 (só mensagem).

 

Subscribe to our Newsletter

Contact

Email us: acadhemia@gmail.com

Our Team Memebers