Musculação na adolescência deve respeitar os limites do corpo

 
 
Mal pode esperar para se matricular numa academia, puxar uns ferros e se tornar o Arnold Schwarzenegger da nova geração? Muita calma. Musculação na adolescência pode, sim, ser uma boa, mas é necessário prestar atenção nas cargas dos pesos e contar com orientação profissional.
“Até os 14 anos, os exercícios devem ser feitos sem pesos adicionais, usando apenas o próprio corpo”, explica Raul Santo, profissional de fisiologia do esporte do departamento de medicina da UNIFESP.

A opinião é endossada pelo Dr. Moisés Cohen, diretor do instituto Cohen de Ortopedia. “O início precoce da musculação pode levar a micro traumatismos na placa de crescimento, o que prejudica o desenvolvimento”.
Segundo Santo, nesta fase não há nada melhor que abdominais e flexões. Depois disso, pesos leves estão liberados. “Acima dessa idade, as cargas poderão ser aplicadas, mas sempre recomendadas por um profissional que tenha feito todas as avaliações físicas com o garoto”, explica.
Um dos principais desafios de quem quer começar com alguma atividade física é encontrar algo que realmente goste. “Não adianta nada começar em algum tipo de atividade física que não seja prazerosa. As chances de não continuar são muito grandes”, diz Raul Santo.
Cohen tem algumas sugestões: “esportes coletivos estimulam a convivência em grupo e desperta o espírito de liderança. As atividades aquáticas também são recomendadas, mas é necessário alguma outra, com impacto, para estimular a deposição de cálcio nos ossos”.
Medicamentos
Um erro muitas vezes cometido por quem começa na rotina de academia é consumir medicamentos, como analgésico para a dor, sem as devidas prescrições médicas. “Superdoses deste tipo de remédio podem causar problemas renais, hipertensão e até infarto”, explica Santo.
No caso dos anabolizantes, as consequências também podem ser bastante graves. “O adolescente pode vir a desenvolver impotência e ter a libido diminuída”, diz antes de citar outro problema, este, psicológico. “É comum nesta fase a vigorexia, isto é, a cultura do corpo acima de qualquer outra coisa”.

Alimentação
Pensando em uma prática equilibrada, aliar alimentação saudável com os exercícios físicos é essencial. Segundo a nutricionista Carla Cruz, o ideal, para quem quer ganhar um pouco de massa muscular, é consumir alimentos ricos em carboidratos (Pão integral, torrada, cereal, massa) e proteínas (leite e derivados, clara de ovo, carnes). “Os músculos são construídos a partir das proteínas e os carboidratos são utilizados como combustível para os exercícios”, explica Carla.
Outra dica é diminuir as porções das refeições, fracionando-as ao longo do dia. “Quando você come, o nível de glicose no sangue aumenta e a resposta do organismo para isso é a liberação da insulina, hormônio que é um potente anabólico”, constata a nutricionista.

Água, claro, também é essencial. “Mais de 70% do nosso corpo é água e se você está desidratado, seus músculos não crescem”, diz. Após os treinos, o consumo de água ajuda a repor líquido e sais minerais perdidos.

FONTE: Jovem.ig.com.br
Reações:

0 comentários:

Postar um comentário

Para mais informações entre em contato:
acadhemia@gmail.com
83 98730 5644 (só mensagem).

 

Subscribe to our Newsletter

Contact

Email us: acadhemia@gmail.com

Our Team Memebers