L-Carnitina. Uma arma para a perda de peso.



A L- Carnitina é uma amina quaternária, substância natural produzida pelo nosso organismo com função de produção de energia pela celula, está presente em todas as mitocôndrias do corpo e é produzida a partir de aminoácidos essenciais, como lisina e metionina, e requer para sua síntese a presença de Ferro, Niacina, Vitamina B6 e Ácido Ascórbico. Este nutriente é encontrado naturalmente em alimentos protéicos como carne vermelha e laticínios, porém como não é produzido em grande escala pelo corpo (cerca de 50mg), recomenda-se o uso via suplementação.
Quando se fala em queima de gordura, precisamos essencialmente da presença de cálcio e complexo B para que aconteça a lipólise (quebra dos triglicerídeos, que são três moléculas de ácidos graxos e uma molécula de glicerol). Quando quebradas, essas gorduras são utilizadas como fonte de energia, sendo levadas pós-membrana mitocondrial para serem oxidadas. Quem faz o transporte desses ácidos graxos é a carnitina-palmitoil transferase, que pode ser maximizada através de suplementação.
A L-Carnitina tem ações biológicas de extrema importância como, por exemplo, ser responsável por aumentar as defesas imunológicas de nosso corpo, baixar os níveis de colesterol ruim, aumentar diversas capacidades mentais, queimar gordura na mitocondria para gerar energia aos musculos e diversos outros benefícios com seu uso via suplementação isolada. 
Ao contrário do que muitos acreditam e pregam, os termogênicos NÃO devem ser utilizados na fase de “Pré-treino” tendo em vista que o momento do treino já é um horário de natural termogênese. O uso de um termogênico no período pré-treino irá causar um efeito tampão neste momento natural, sem falar na energia “falsa” não advinda de energia muscular, mas neurotransmissora que o termogênico produz podendo vir a ser ainda mais catabolítico neste momento. Em outros horários onde o indivíduo realmente necessita desta aceleração certamente ele não o faz. 
LIPODROL
Os termogênicos são realmente indicados em horários como o período da manhã e tarde, onde a maioria dos indivíduos está no trabalho, sentado e com o metabolismo lento com o objetivo de acelerar o metabolismo e gerar mais energia gasta pelo corpo, auxiliando assim o processo de perda de peso. O Lipodrol é uma excelente arma para estes horários, pois com sua ação time-release pode-se verificar excelentes resultados.
No período pré-treino a necessidade real de nosso corpo é de AMINOÁCIDOS, dentre eles o BCAA para diminuição do triptofano (diminuição da fadiga e cansaço), melhora da disposição, preservação da testosterona natural, preservação dos bcaas e glutamina musculares (anticatabolismo), estímulo da testosterona natural (hipertrofia), aumento de energia na mitocondria dentre outras funções. Temos a necessidade de uma boa GLUTAMINA, que irá melhorar a hidratação celular, preservar a musculatura, estimular de maneira otimizada a capacidade de contração muscular, além da preservação do sistema imunológico, muito atacado em períodos de treinamento intenso. 
Associado a estes aminoácidos potencializadores de resultados, recomendamos o uso da L-CARNITINA por promover trabalho sinérgico de maior energia muscular para os treinos, além de otimizar a quebra e transporte das gorduras como fonte de energia sem causar aquela sensação de aceleração que os termogênicos promovem. Mais um motivo para NÃO utilizar estes em períodos pré-treino. 

DOSES E EFEITOS ADVERSOS

Sua dose indicada é de 2 a 6g por dia para resultados satisfatórios, dose dependente de PROTOCOLO, dieta, treino, tipo físico e fase de treinamento em que se encontra. Não se tem relatado na literatura efeitos adversos com o uso desta amina.

 Texto elaborado pelo Professor Especialista Rafael Bracca dos Santos CREF 074023-G/SP 


 REFERÊNCIAS
1. Laurberg P, Andersen S, Bulow P, I, Carle A. Hypothyroidism in the elderly: pathophysiology, diagnosis and treatment. Drugs Aging. 2005;22(1):23-38.
2. Jayakumar RV. Hypothyroidism. J Indian Med Assoc. 2006 Oct;104(10):557-60, 562.
3. Heitman B, Irizarry A. Hypothyroidism: common complaints, perplexing diagnosis. Nurse Pract. 1995 Mar;20(3):54-60.
4. Caturegli P, Kimura H, Rocchi R, Rose NR. Autoimmune thyroid diseases. Curr Opin Rheumatol. 2007 Jan;19(1):44-8.
5. Maji D. Hyperthyroidism. J Indian Med Assoc. 2006 Oct;104(10):563-7.
6. Sinclair C, Gilchrist JM, Hennessey JV, Kandula M. Muscle carnitine in hypo- and hyperthyroidism. Muscle Nerve. 2005 Sep;32(3):357-9.
7. Olson BR, Klein I, Benner R, et al. Hyperthyroid myopathy and the response to treatment. Thyroid. 1991;1(2):137-41.
8. Strack E, Woratz G, Rotzsch W. Effects of carnitine in hyperfunction of the thyroid gland. Endokrinologie. 1959 Sep;38:218-25.
9. Strack E, Bloesche H, Bemm H, Rotzsch W. Use of L-carnitine in hyperfunction of the thyroid gland. Dtsch Z Verdau Stoffwechselkr. 1962 Apr;21:253-9.
10. Jacob C, Belleville F. L-carnitine: metabolism, functions and value in pathology. Pathol Biol (Paris). 1992 Nov;40(9):910-9.
11. CErretelli P, Marconi C. L-carnitine supplementation in humans. The effects on physical performance. Int J Sports Med. 1990; 11(1):1-14.
12. Evans AG, Fornasi G. Pharmacokinetics of L-Carnitine. Clin Pharmacokinet. 2003; 42(11):941-67.
13. Mitchell ME. Carnitine metabolism in humans subjects. II. Values of carnitine in biological fluids and tissues of "normal" subjects. Am J Clin Nutr. 1978; 31(3):481-91.
14. Cotter MA, Cameron NE, Keegan A, Dines KC. Effects of acetyl- and proprionyl-L-carnitine on peripheral nerve function and vascular supply in experimental diabetes. Metabolism. 1995; 44(9):1209-14.
15. Brass EP. Carnitine as ergogenic aid in health and disease. J Am Coll Nutr. 1998; 17(3):203-4.
16. De Simone C, Famularo G, Tzantzoglou S, Trinchieri V, Moretti S, Sorice F. Carnitine depletion in peripheral blood mononuclear cells from patients with AIDS: effect of oral L-carnitine. AIDS. 1994; 8(5):655-60.
17. Bartels GL, Scholte HR. Acute myocardial ischaemia induces cardiac carnitine release in man. Eur Heart J. 1997; 18(1):84-90. [ Links ]
18. Bellinghieri G, Savica V, Mallamace A, Di Stefano C, Consolo F, Spagnoli LG, et al. Correlation between increased serum and tissue L-carnitine levels and improved muscle symptoms in hemodialyzed patients. Am J Clin Nutr. 1983; 38(4):523-31

FONTE: Integralmedica.com.br

Reações:

0 comentários:

Postar um comentário

Para mais informações entre em contato:
acadhemia@gmail.com
83 98730 5644 (só mensagem).

 

Subscribe to our Newsletter

Contact

Email us: acadhemia@gmail.com

Our Team Memebers