A musculação na adolescência



Atualmente é muito comum que as pessoas, desde jovens, comecem a praticar atividade física. Independente do exercício que praticam, é importante que façam um acompanhamento para saber o que é e não é saudável para o corpo. A médica do esporte, Alana Santos, explica que o treinamento resistido (musculação) para crianças e adolescentes infelizmente ainda é um tema muito controverso para muitos profissionais da saúde, como médicos e educadores físicos. Porém, adolescentes podem fazer musculação, desde que em um programa supervisionado por um educador físico e sem a intenção de ganhar musculatura. “Quatro associações internacionais emitiram parecer favorável à prática de exercício resistido (musculação) em crianças e adolescentes como um exercício eficaz e seguro quando bem orientado, são elas: American College Of Sports Medicine, National Strength and Conditioning Association, The American Academy of Pediatrics, American Orthopedic Society for Sports Medicine”, ressalta.
De acordo com a médica, até pouco tempo atrás, os especialistas seriam unânimes em proibir a musculação durante a puberdade, devido a questão das epífises de crescimento (cartilagens de crescimento presente nos ossos em crescimento). No entanto, hoje é de conhecimento de todos que a musculação é recomendada e a questão importante está relacionada à quantidade de peso/carga usada durante os exercícios, que deve ser feita dentro dos limites dos adolescentes, que são diferentes dos limites dos adultos. “Ou seja, a musculação deve ser feita de maneira adequada aos adolescentes e supervisionada por profissional competente e sem a intenção de ganho de musculatura. Alguns exercícios indicados para estes jovens, por exemplo, são: exercícios aeróbicos (caminhada, corrida, bicicleta) + exercícios localizados sem carga ou com carga mínima que trabalhem força/resistência muscular e exercícios de alongamento/flexibilidade de todos os segmentos (braços, pernas, região abdominal, tronco)”, alerta Alana.
A médica do esporte conta que os riscos de um treinamento de força bem orientado, individualizado e respeitando os limites do adolescente são praticamente nulos, por isso, a avaliação médica antes de começar a atividade física é essencial para saber se existe alguma condição clínica que contra-indique a atividade física e para determinar o status de saúde inicial do praticante.
Seguindo todos os passos importantes e necessários para praticar exercícios, os jovens só terão a ganhar. “A maioria das crianças podem se beneficiar com os programas de treinamento de força, no que diz respeito à melhora do condicionamento físico e desempenho nos esportes ou para reduzir a probabilidade de lesões em atividades esportivas ou recreativas”, explica Alana.
Para finalizar, a médica enumera alguns benefícios  que os jovens podem adquirir ao treinar com consciência:
• Aumento da força e resistência muscular;
• Melhora do desempenho esportivo;
• Prevenção de lesões nos esportes e também em atividades recreativas;
• Reabilitação de lesões;
• Melhora da composição corporal, com diminuição da gordura corporal, podendo dessa forma prevenir e tratar a obesidade infantil;
• Aumento da densidade mineral óssea;
• Aumento da capacidade cardiorespiratória;
• Diminuição de lipídios sanguíneos;
• Melhoria do bem-estar psico-social;
• Combate ao sedentarismo;
• Melhora das habilidades motoras;
• Trabalho de força e resistência muscular.


FONTE: Portalctea.com.br

Reações:

0 comentários:

Postar um comentário

Para mais informações entre em contato:
acadhemia@gmail.com
83 98730 5644 (só mensagem).

 

Subscribe to our Newsletter

Contact

Email us: acadhemia@gmail.com

Our Team Memebers