Alongamento Dinâmico


Alongamento Dinâmico: Uma nova rotina preparatória para o exercício
Por Matt Fitzgerald , 9 de agosto de 2011
Muitos atletas Top e treinadores argumentam que o alongamento estático é inefetivo e potencialmente prejudicial. É hora de mudar sua rotina de preparação?
Dwyane Wade não alonga. Dean Karnazes, ultra-maratonista também não, assim como a maioria dos tenistas profissionais. Enquanto muitos se mantém firmes nos rituais pré e pós pratica, um número crescente de Top atletas e treinadores dizem que o alongamento tradicional (estático) traz poucos benefícios e pode ser mais prejudicial do que benéfico.
O que a maioria pensa sobre o que é alongar -  “toque os dedos dos pés”, “alongue o quadril” – é tecnicamente definido como alongamento estático, uma técnica que coloca os músculos isolados em posição alongada por 20 a 30 segundos. Defensores da técnica argumentam que ela relaxa os músculos antes dos exercícios e aumenta a flexibilidade para melhorar a performance e previnir lesões.
Mas pesquisas atuais tem mostrado que o alongamento não reduz o risco de lesões e pode prejudicar a performance. “ Mecanismos de proteção são ativados quando o alongamento é mantido resultando em redução temporária da força muscular”, disse Rett Larson do Centro Performance em Esportes de Velocidade, adicionando que esta redução da força pode diminuir a performance atlética  em treinamentos subsequentes. E embora o alongamento possa aumentar a flexibilidade, isto não resulta em aumento da eficiência muscular. Então fazer “toca os dedos” diariamente pode levar você a chutar mais alto, mas não ajudará você a ter precisão ou força necessária em um chute de futebol. “ Alongamento estático é como comprar terrenos vazios”, disse o técnico de musculação Curtis Cramblett. “ Para melhorar a performance, você precisa desenvolver o que é realmente exigido” Como? Com alongamentos dinâmicos.
O método dinâmico
Este tipo de alongamento aquece e alonga os músculos através de seu próprio movimento. Alongamento dinâmicos recrutam as maiores articulações como quadris e ombros em uma variedade de ângulos diferentes  para simular o percurso usado pelo músculo durante os exercícios. Em oposição as técnicas estáticas, as técnicas dinâmicas ativam o fluxo sanguíneo para os músculos, ajudando a alongar a musculatura e aquecendo-os. Exemplos incluem “movimento de pernas” (leg swings), agachamentos completos, “escorpiões”, rotação de ombro e movimentos circulares de braço e “afundo” com caminhada.


Fazer estes alongamentos antes do exercício também “engana seu sistema nervoso para relaxar”, diz Eric Cressey, autor do livro Maximum Strenght, “significa que se você faz uma série de Leg Swings (movimentos variados com os membros inferiores) antes da corrida, seus isquitibiais sentem-se mais relaxados e alongados.Com as técnicas estáticas por outro lado, penso, eles podem se contrair durante a corrida.”
Pesquisas também mostram que as tecnicas de alongamento dinâmicas sendo praticadas regularmente podem ajudar a melhorar a flexibilidade e mobilidade na performance atlética ao longo do tempo. “Com estes movimentos, você esta “soltando” você mesmo para um treino específico” disse Joe Abunassar, fundador do treinamento para NBA Impact Basketball, “ mas você também esta criando mobilidade a longo prazo e aumentado a flexibilidade e força”
Gaste 5 minutos nestes exercícios dinâmicos antes do treino, atingindo os músculos que você irá utilizar.
*******
Tenha estas técnicas como complementares e como uma opção a mais ao treinamento.  As pesquisas ainda precisam avançar muito para chegarmos a uma resposta absoluta.
Este artigo apareceu originalmente em Agosto de 2011 no Men’s journal
Ilustrações: Emily Cooper

Reações:

0 comentários:

Postar um comentário

Para mais informações entre em contato:
acadhemia@gmail.com
83 98730 5644 (só mensagem).

 

Subscribe to our Newsletter

Contact

Email us: acadhemia@gmail.com

Our Team Memebers